27 de abr de 2010

Review AB - Ana Marmeleira


www.sxc.hu

Dear teacher and classmates,

I found it very important statements(AB) by Ana Marmeleira.

She made a careful search and rich on the subject - very consistent, and at the same

time, used different lines of inquiry to achieve the desired goal.

Giving us opportunities plurals and relevant information in a summary way, but above all objective.

CONGRATULATIONS!

--------------------------
(Versão em Português)

Caro professor e colegas,

Eu achei muito importante as indicações(AB) da colega Ana Marmeleira.

Ela fez uma busca cuidadosa e rica sobre o assunto - muito coerente, e ao mesmo

tempo, usou diferentes linhas de inquérito para alcançar os objetivo pretendidos.

Dando-nos possibilidades plurais e informações relevantes de maneira sintética, mas sobretudo objetiva.

PARABÉNS!

---------------------------

25 de abr de 2010

Review LO Carla Maria Elias

I did a review of the LO colleague Carla Elias.

Very interesting collages made using Vuvox.

Organizado.Apresenta visually very attractive and plural forms of presenting content in a single space, thus facilitating the convergence of multiple purposes.

The content of proposal meets the full theme!

Very good work!

Very good work!

-------------------
(Versão em Português)

Muito interessante as colagens feitas usando o Vuvox.

Visualmente muito atrativo e organizado.Apresenta formas plurais de apresentar o conteúdo em um único espaço, favorecendo deste modo a convergência de múltiplos propósitos.

O conteúdo atende a proposta da temática plenamente!

Muito bom trabalho!
--------------------

11 de abr de 2010

Unit 2 - Online Teaching Techniques - AB

Examples of techniques for online learning based on the perspectives of authors and add your own views / experience.

1.Guide to Web 2.0 Tools for Teachers - Produced by the Ministry of Education DGIDC and organized by CARVALHO, Ana Amelia Amorim, University of Minho

http://www.oei.es/tic/manual_web20-professores.pdf

In the nine chapters of this publication, consolidate a number of workshops that joined the Meeting on Web 2.0 technologies, several tools were presented, aimed at teachers and educators to facilitate their integration into the educational context.
Thus, each chapter is made to contextualize of each tool, explains how to create an online space and approaches to their use in educational practices. This set of texts provides the teacher a good variety tools for use in teaching practices, guiding it in its construction and use.

2. Formative Evaluation Tools for online course design – FEVATOOLS – San Diego State University

http://fevatools.wikispaces.com/

This is your one-stop portal to find out everything you want to know about formative evaluation tools to help you measure the success of your online courses.


3.Learning Objects M-Learning - TAROUCO, Liane Margarida Rockenbach; FABRE, Marie Christine Julie Mascarenhas; KONRATH, Mary Lúcia Pedroso; GRANDO, Anita Raquel.

http://www.cinted.ufrgs.br/CESTA/objetosdeaprendizagem_sucesu.pdf

This article presents the m-learning as a strategy for continuing education of adults and some results in the production and deployment within a "learning strategy", presents some results in the production of learning objects for this mode.

4.Two examples of techniques for online learning based in the learning objects (LO) development.

a) MISHRA, Sanjaya - Istrutional Design for Learning Objects http://www.slideshare.net/missan/instructional-design-for-learning-objects?src=related_normal&rel=389440

b) SHARMA, Justina - E-learning - ID Guide Line http://www.slideshare.net/justisharma/training-material-for-e-learning-objectives

These presentations are very useful for teachers in higher education really give an idea of designing a learning object (LO). These techniques are able to relate to identifying the components of multimedia instructional design (ID) of the LO's.

---------------------------------
(Versão em Português)

Exemplos de técnicas de aprendizagem online baseados nas perspectivas dos autores e adicionar os seus próprios pontos de vista / experiência.

1.Guide to Web 2.0 Tools for Teachers - Produced by the Ministry of Education DGIDC and organized by CARVALHO, Ana Amelia Amorim, University of Minho

http://www.oei.es/tic/manual_web20-professores.pdf

Os nove capítulos desta publicação, para consolidar uma série de workshops que se juntou ao Encontro sobre tecnologias Web 2.0, várias ferramentas foram apresentadas, destinadas aos professores e educadores a fim de facilitar a sua integração no contexto educacional.
Assim, cada capítulo é composto de contextualizar de cada ferramenta, explica como criar um espaço on-line e abordagens para a sua utilização nas práticas educativas. Este conjunto de textos proporciona ao professor uma boa variedade de ferramentas para uso em práticas de ensino, orientando-o em sua construção e utilização.

2. Formative Evaluation Tools for online course design – FEVATOOLS – San Diego State University

http://fevatools.wikispaces.com/

Esta é a sua one-stop portal para saber tudo o que você quer saber sobre os instrumentos de avaliação formativa para o ajudar a medir o sucesso de seus cursos on-line.

3.Learning Objects M-Learning - TAROUCO, Liane Margarida Rockenbach; FABRE, Marie Christine Julie Mascarenhas; KONRATH, Mary Lúcia Pedroso; GRANDO, Anita Raquel.

http://www.cinted.ufrgs.br/CESTA/objetosdeaprendizagem_sucesu.pdf

Este artigo apresenta o m-learning como estratégia para a educação continuada de adultos e de alguns resultados na produção e distribuição dentro de um "aprendizado" da estratégia, apresenta alguns resultados na produção de objetos de aprendizagem para esta modalidade.

4.Two examples of techniques for online learning based in the learning objects (LO) development.

a) MISHRA, Sanjaya - Istrutional Design for Learning Objects http://www.slideshare.net/missan/instructional-design-for-learning-objects?src=related_normal&rel=389440

b) SHARMA, Justina - E-learning - ID Guide Line http://www.slideshare.net/justisharma/training-material-for-e-learning-objectives

Estas apresentações são muito úteis para professores do ensino superior, realmente, dar uma idéia de projetar um objeto de aprendizagem (LO). Estas técnicas são capazes de se relacionar com identificação dos componentes de multimídia de design instrucional (DI), da LO's.
--------------------------

Entrevista com Pierre Lévy concedida ao jornalista brasileiro Florestan Fernandes

Cibercultura - Pierre Lévy - Considerações e Exemplificações


Compreendemos cibercultura como a digitalização da cultura, sua ressignificação a partir da sociedade digital. Em que o modo de ser, o comportamento, relacionamento e ação, estruturam-se pelo meio digital, no viés da cultura das redes, na promoção da midiatização das relações sociais e alterações na sociabilidade.

Tais mudanças estendem seus domínios a vários campos do saber, mas na comunicação a transformação evidencia-se, através do desenvolvimento das tecnologias digitais de informação e comunicação, sendo este o ponto de partida, no qual Pierre Lévy apóia-se para estudar as implicações culturais engendradas por este advento que impulsionam a humanidade para uma via de mão única. Na qual práticas, atitudes, pensamentos e valores são, cada vez mais, condicionados pelo novo espaço de comunicação que surge da interconexão mundial dos computadores: o ciberespaço.

Assim, cibercultura, segundo Lévy “não é a cultura da internet, é uma transformação profunda da noção mesma de cultura”, traduzindo-se em uma expressão que sintetiza o mundo digital centralizado em seus plurais usos,em que a assunção do conceito liga-se a pressupostos necessários que lhe dão sustentação e leva-nos à uma compreensão mais ampla - a interconexão, as comunidades virtuais e a inteligência coletiva.

Para cibercultura a conexão é sempre preferível ao isolamento, constituindo-se um bem em si mesma. A interconexão insere a humanidade em um continuum sem fronteiras. O segundo princípio estende o primeiro devido às comunidades virtuais se apoiarem na interconexão, pois uma comunidade virtual baseia-se em afinidades de interesses, de conhecimentos, processo de cooperação ou de troca, independente de proximidades geográficas. O terceiro princípio - inteligência coletiva, seria sua perspectiva espiritual e finalidade última.

Deste modo, o advento da cibercultura promove a chamada "era digital", onde um tempo, quase real, media as relações on-line e estabelece novos conceitos de espaço, tempo e interação social. Como sujeitos inserimo-nos neste lugar não físico, não limitado, não limitante, e melhor seria nomeá-lo “não-lugar”, onde novos e diferentes procedimentos comunicacionais multimidiáticos, aportados na convergência dos meios midiáticos marcam o ciberespaço - local que necessariamente,segundo Lévy, precisa ser “explorado nas suas potencialidades no plano econômico, político, cultural e humano”. Gera impacto e evidencia pelas apropriações com relação aos aparatos tecnológicosdos por parte dos sujeitos em seu cotidiano e em diferentes graus, uma “nova” vida em sociedade, num perpassar a um espaço coletivo e intangível de mediações, trocas e transações num viés pleno da manifestação “cibercultural”.

A cibercultura instaura uma estrutura midiática ímpar, nunca antes vista e experienciada pela humanidade. Os indivíduos em autoria colocam-se a produzir, publicar informação em tempo real, sob múltiplos enfoques, formatos e modulações. Adicionando e colaborando em rede, reconfigurando de modo dinâmico os conteúdos, num exercício de compartilhamento e possibilidades plurais inimteruptas e recombinatórias.

Os exemplos são inimagináveis, projetam-se como agregadores sociais, vetores pelos vínculos comunicacional firmados e pelas recombinações informacionais que sucedem nos mais variados formatos: Blogs, Flickr, Podcasts, Softwares Livres, YouTube, Softwares Sociais, Redes P2P...dentre outros.

5 de abr de 2010

Questions about Theory of Cooperative Freedom

The question 1 was directed to research professor, department of Mathematic - Marcos Ribeiro Nascimento, B.S.c Mathematic, MS.c in Computer Science, Ph.D. student in Computer Science in the context of the degree in Mathematics UAB-UFJF.

Question - How to combine teaching methodologies supported by information and communication technologies to develop virtual learning environments that foster individual freedom / flexibility of building knowledge collaboratively and cooperative involving online learning communities?

Answer - "The conditions of obtaining the cooperation and collaboration in online learning environments are a consequence of two strategic actions together: i) - choose appropriately tools of information and communication technology-ICT 's line of web application architectures with a flexible customization of the systemic process of interdisciplinarity and transdisciplinarity; ii) methodologies and metamodels of teaching and learning a potential dialogue, reflection and mechanisms for best practice "learning to learn." Using methods based on immersion techniques base on, Inquiry-based learning -IQL, Problem-based learning-PBL and Project Based Learning -PBL are essential for the formulation of planning educational programs in online environments."

The Question 2 was directed to research professor José A. A. Reyes and Academic Coordinator NEAD- UFJF.

Question - Using the set of existing technologies for hardware, software and network to create a virtual environment on the Internet, capable of supporting the pedagogical and methodological requirements of courses online guide to cooperative learning network?

Answer - "The key is not technology but rather the conditions for collaborative practice. The fact that people are satisfied with technological support is not guarantee of cooperation. For there to be collaboration is a necessary condition for collective production of meaning by individuals. If this can be required of the methodology or technology would be a matter of design. I think it's best to think of methodological and technological solutions for this purpose, ie. Vygotsky's not alone ... Vigostky is (or Piaget) in the context man-net".

2 de abr de 2010

Depoimento do professor Marco Silva, da UERJ, sobre o conceito de arte Parangolé, onde ressalta dentre outros pontos, a relação entre o conceito proposto por Hélio Oiticica, com a cibercultura.